Quando se planeja o cardápio com antecedência, se consegue escolher melhor os alimentos, privilegiando os mais saudáveis e deixando de lado os que são ultraprocessados e ricos em gorduras, sódio e açúcar. Ou seja, é preciso dar à preparação e ao consumo de alimentos o valor devido no dia a dia.

“O  planejamento das refeições, desde a compra na feira ou no supermercado até o consumo do alimento ou da preparação culinária,  facilitará a disponibilidade e a ingestão de alimentos saudáveis e reduzirá a probabilidade de consumo de alimentos processados e ultraprocessados por toda a família”, explica Helissa Moreira, analista técnica da Coordenação Geral de Alimentação e Nutrição  do Ministério da Saúde.

Helissa lembra que a rotina de alimentação da família deve estar em acordo com as necessidades alimentares especiais de cada membro da família, sem deixar de lado características da cultura alimentar e pelas dimensões de gênero, raça e etnia. “Deve ser  acessível do ponto de vista físico e financeiro; harmônica em quantidade e qualidade e  atender aos princípios da variedade, equilíbrio, moderação e prazer”, completa.

“O  planejamento das refeições, desde a compra na feira ou no supermercado, até o consumo do alimento ou da preparação culinária, facilitará a disponibilidade e a ingestão de alimentos saudáveis e reduzirá a probabilidade de consumo de alimentos processados e ultraprocessados por toda a família”, ressalta Helissa.

Outro aspecto importante da prática levantado pela coordenadora do curso de Nutrição, do Centro Universitário Senac (SP), Irene Coutinho de Macedo, é que o hábito de planejar o momento da refeição faz com que as pessoas estreitem os laços entre elas e ainda faz com que observem melhor o que consomem

“Ao sentarmos juntos à mesa, a gente observa mais o que come e, a partir da observação, melhora a qualidade de vida como um todo. O ganho é muito grande. É mais do que contar ingredientes, tem a ver com alegria e até com a questão da gratidão pelo alimento”, afirma, Irene, que destaca que as pessoas têm dificuldade em reconhecer a importância da alimentação.

“As pessoas tem dificuldade de reconhecer. Pensam ‘como eu faço isso? Como preparo comida se estou o dia inteiro ocupado?’ Mas é preciso colocar em prática. A dica é tratar a alimentação como os outros hábitos. Ninguém deixa de tomar banho ou escovar os dentes. É preciso separar um tempo para preparar a alimentação, dando o ponto de destaque que ela merece”, enfatiza.

Outras dicas

Guia Dez Passos para Uma Alimentação Saudável, elaborado pelo Ministério da Saúde, traz mais dicas importantes para se levar em conta. Confira!

Desenvolva e compartilhe habilidades culinárias

Se você tem habilidades culinárias, procure desenvolvê-las e partilhá-las, principalmente com crianças e jovens, sem distinção de gênero. Se você não tem habilidades culinárias – e isso vale para homens e mulheres –, procure adquiri-las. Para isso, converse com as pessoas que sabem cozinhar, peça receitas a familiares, amigos e colegas, leia livros, consulte a internet, eventualmente faça cursos e… comece a cozinhar!

Planeje o uso do tempo

Planeje as compras de alimentos, organize a despensa doméstica e defina com antecedência o cardápio da semana. Divida com os membros de sua família a responsabilidade por todas as atividades domésticas relacionadas ao preparo de refeições. Faça da preparação de refeições e do ato de comer momentos privilegiados de convivência e prazer. Reavalie como você tem usado o seu tempo e identifique quais atividades poderiam ceder espaço para a alimentação.

Coma com atenção

Procure fazer suas refeições em horários semelhantes todos os dias e evite “beliscar” nos intervalos entre as refeições. Coma sempre devagar e desfrute o que está comendo, sem se envolver em outra atividade. Procure comer em locais limpos, confortáveis e tranquilos e onde não haja estímulos para o consumo de quantidades ilimitadas de alimento. Sempre que possível, coma em companhia, com familiares, amigos ou colegas de trabalho ou escola. A companhia nas refeições favorece o comer com regularidade e atenção, combina com ambientes apropriados e amplia o desfrute da alimentação. Compartilhe também as atividades domésticas que antecedem ou sucedem o consumo das refeições.

Fonte: Ministério da Saúde

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here