Inovação em saúde: novo app auxilia profissionais de saúde no combate à Covid-19

Inovação em saúde: novo app auxilia profissionais de saúde no combate à Covid-19


O ato de preencher dados pessoais num breve cadastro permite que, de forma inteligente, o aplicativo iSUS crie um perfil do usuário e personalize informações de acordo com a atuação dos profissionais de saúde na linha de frente da Covid-19. Lançado nesta segunda-feira (14), o app, criado pela Escola de Saúde Pública do Ceará Paulo Marcelo Martins Rodrigues (ESP/CE), vinculada à Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), traz uma série de recursos para dar agilidade na adoção de condutas no cuidado ao paciente com base em dados atualizados e evidências científicas.

Em fase de testes desde junho, a ferramenta é parte das ações de inovação aplicada à saúde, um dos pilares da Plataforma de Modernização da Saúde do Estado. “Este aplicativo é uma entrega do SUS aos profissionais de saúde. E inovação é um ponto-chave do sistema público de saúde para garantir equidade e o bem-estar da população”, destaca o superintendente da ESP/CE, Marcelo Alcantara.

O iSUS foi desenvolvido pela ESP/CE em parceria com a consultoria em tecnologia ThoughtWorks e o apoio da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), por meio do projeto “SMART Health”, desenvolvido em parceria com o Grupo de Engenharia de Software Adaptativo e Distribuído (GESAD) da Universidade Estadual do Ceará (UECE).

O lançamento do app também integra as ações da semana de celebração aos 30 anos do Sistema Único de Saúde (SUS). Mesmo em tempos de redução de casos de Covid-19 no Ceará, a informação segura e atualizada continua como principal aliada do profissional de saúde.

“A pandemia ainda não acabou. Ainda há muito o que se descobrir sobre a doença e o profissional de saúde tem que estar preparado e se informando. A população também deve seguir os devidos cuidados de higiene e isolamento social”, acrescenta Alcantara.

A ferramenta



Após preenchimento de dados pessoais, o aplicativo iSUS permite acesso personalizado a manuais, protocolos e notas técnicas elaborados e atualizados constantemente. O protocolo digital do manejo clínico do paciente, uma das principais funcionalidades disponíveis, apresenta todos os estágios da Covid-19 e traz uma série de recomendações para a abordagem clínica adequada para o processo de recuperação do paciente com base em evidência científica.

O app está em constante atualização de acordo com as sugestões dos usuários. “O aplicativo é uma forma prática e rápida de atualização, especialmente nesse momento de pandemia que temos menos tempo. É também um suporte no atendimento ao paciente, que tem dúvidas, e rapidamente posso checar no aplicativo, que é uma fonte confiável”, destaca o médico pneumologista e intensivista, Ricardo Coelho, que utiliza o app desde o início da fase de testes.

O iSUS beneficia não apenas os profissionais que estão na linha de frente. A ferramenta é estratégica para gestores de unidades de saúde. “Esse aplicativo foi importante para que fosse implantado um plano de ações de enfrentamento à Covid-19 e um suporte para tomada de decisões aqui na unidade”, afirma Assis Guedes, diretor do Centro de Convivência Antônio Diogo, em Redenção.

Ação colaborativa

A Escola de Saúde Pública traçou estratégias e contou com a colaboração de parceiros para desenvolvimento da ferramenta do aplicativo. “O iSUS está totalmente alinhado com o nosso propósito de ampliar a mudança social positiva e defender um futuro tecnológico mais justo”, comenta Gisele Burck, Project Manager da ThoughtWorks Brasil. “Aprendemos muito com esse projeto, que nasceu com o intuito de disponibilizar, de forma ágil, informações confiáveis àqueles que mais precisam e seguimos trabalhando para apoiar a jornada da Escola de Saúde Pública do Ceará”.

Graças à Metodologia Ágil, a equipe de 20 tecnologistas envolvidos na construção do iSUS pôde fazer entregas contínuas para receber o retorno dos próprios profissionais de saúde que utilizaram o aplicativo e fazer melhorias ou incluir as funcionalidades consideradas mais importantes por eles.

Para ser constantemente aperfeiçoado, os usuários poderão sugerir novas ferramentas e funcionalidades que auxiliem na rotina do profissional de saúde. Desse modo, os desenvolvedores atuam de forma constante na manutenção e aprimoramento do aplicativo para atender às necessidades da rotina do profissional de saúde.

Uma novidade é que o aplicativo foi desenvolvido em formato de código aberto. Isso permite que ele seja utilizado por outras instituições públicas de saúde do Brasil e do mundo.

Já a Funcap integrou o projeto por meio de uma linha emergencial de apoio a pesquisas e ações direcionadas de combate ao coronavírus. A iniciativa beneficiou também parceiros do iSUS. “A linha emergencial foi um instrumento essencial para agilidade na avaliação e na execução dos projetos nesta pandemia e contribuir para dar respostas aos problemas mais prementes causados pelo coronavírus”, destaca o diretor de inovação da Funcap, Jorge Soares.

Somaram-se à força-tarefa, o projeto Smarth Health e o Grupo de Engenharia de Software Adaptativo e Distribuído (GESAD), da Universidade Estadual do Ceará (UECE), que contribuiu com a interface e desenvolve serviços que ainda serão acrescentados à ferramenta.

“Enquanto a ESP tem o problema, nós temos a expertise da tecnologia através do grupo de pesquisa que desenvolve projetos na área. Além de podermos apoiá-los com a expertise tecnológica, nós também aprendemos”, destaca Paulo Henrique Maia, coordenador do Smart Health e do GESAD.

%d blogueiros gostam disto: